Socioemocionais: como preparar alunos para o séc. 21

Um guia interativo sobre o que são e como desenvolver competências socioemocionais em alunos foi publicado no site do Porvir nesta quarta-feira, 17. Feito em parceria com o Instituto Ayrton Senna, o site traz fotos, vídeos e textos que mostram experiências de sucesso no trabalho com habilidades necessárias para enfrentar desafios do século 21, além de uma seleção de recomendações de especialistas para que redes e escolas brasileiras consigam mudar suas metodologias.

“Elas (as socioemocionais) são habilidades que você pode aprender; são habilidades que você pode praticar; e são habilidades que você pode ensinar”, diz o escritor e jornalista americano Paul Tough, em depoimento publicado em vídeo no especial Competências Socioemocionais, que está dividido em quatro seções acessíveis por um menu localizado no topo da página.

Em “O que é” o usuário lerá sobre a importância de se desenvolver essas competências, como a discussão em torno delas ganhou força ao longo dos anos e seus impactos em sala de aula.  Um infográfico ainda mostra como os conjuntos de habilidades estão relacionados: maior abertura a experiências beneficia o aprendizado em português, enquanto a matemática é impactada por um maior desenvolvimento de consciência, por exemplo.

“Na rede escolar” mostra como a província de Ontário, no Canadá, e a rede estadual do Ceará mudaram seus currículos e capacitaram seus professores e como o Instituto Ayrton Senna está desenvolvendo um instrumento para avaliação de tais habilidades.

No terceiro item do menu, “Dentro da escola”, é possível conhecer como unidades da rede de escolas KIPP em Nova York usam “micromomentos” para motivar alunos e aproximá-los dos professores. Nesta mesma parte, ainda é apresentado o caso da Escola João Mattos, de Fortaleza (CE), que usa projetos para conectar alunos ao mundo digital e também à comunidade em que vivem. Para entender o impacto do trabalho com socioemocionais, não deixe de assistir ao vídeo de Marcos Ferrari, aluno da professora Ana Lúcia Viana em uma escola de Araçatuba (SP), que colecionava problemas disciplinares até que despertou para os livros. Já em recursos pedagógicos, saiba como jogos digitais e analógicos ajudam professores e pais a trabalharem autoestima, empatia e autonomia com crianças e adolescentes.

A última parte, chamada “Como faz”, é resultado do evento da Série de Diálogos O Futuro se Aprende, realizada por Inspirare, Porvir e Instituto Ayrton Senna. Ela reúne recomendações de pesquisadores, professores, empreendedores, gestores e alunos, que debateram questões conceituais e práticas relacionadas ao tema para orientar o trabalho com as competências socioemocionais.

Os textos do guia estão licenciados em Creative Commons e podem ser publicados em partes ou na íntegra por terceiros.

 

Fonte: